Imagem Principal
Imagem
Área ambiental de São Gonçalo reinsere animais de volta ao seu hábitat
Espécies como cágado-pescoço-de-cobra, cágado-de-barbicha (Phrynops geoffroanus) e pássaro socó-dorminhoco foram resgatados por equipes do Grupamento Ambiental
Área ambiental de São Gonçalo reinsere animais de volta ao seu hábitat
Foto do autor Gabriel Ferreira Gabriel Ferreira
Por: Gabriel Ferreira Data da Publicação: 28 de janeiro de 2024FacebookTwitterInstagram
Foto: Divulgação/ Prefeitura de São Gonçalo

A Secretaria de Meio Ambiente de São Gonçalo vem realizando um esforço contínuo de preservação da biodiversidade e do ecossistema local. Na última quinta-feira (25), três animais foram reintegrados à natureza com sucesso: um cágado-pescoço-de-cobra (Hydromedusa tectifera), um cágado-de-barbicha (Phrynops geoffroanus) e um pássaro socó-dorminhoco (Nycticorax nycticorax).

O trabalho de soltura foi realizado por uma equipe especializada de veterinários da Área de Soltura de Animais Silvestres (ASAS) de São Gonçalo e por guardas municipais do Grupamento de Proteção Ambiental (GPam).

De acordo com o técnico ambiental Fernando Medeiros, os dois cágados resgatados chegaram à ASAS sem alterações clínicas e permaneceram em observação no tanque até a realização da soltura. Já o pássaro da espécie socó-dorminhoco precisou ser encaminhado ao Centro de Recuperação de Animais Selvagens (CRAS) Unesa, em Vargem Pequena, onde passou por exames complementares e cirurgia para remoção de um anzol. Após recuperação, o animal retornou à ASAS e foi solto em seguida.

 “A reintegração destas espécies às áreas de conservação de Mata Atlântica presentes na cidade representa o resultado de um trabalho frequente de preservação e tem como objetivo principal promover a biodiversidade das áreas florestais de São Gonçalo”, disse Carlos Afonso, secretário de Meio Ambiente.

Desde a sua inauguração, em junho de 2022, até os dias atuais, a ASAS recebeu aproximadamente 500 animais silvestres resgatados e tratados no local, sendo 81 destes somente no mês de janeiro deste ano.

Foto: Divulgação/ Prefeitura de São Gonçalo

Referência no resgate de animais silvestres

A Área de Soltura de Animais Silvestres (ASAS) de São Gonçalo, localizada na Área de Proteção Ambiental (APA) das Estâncias de Pendotiba, em Maria Paula, destaca-se como um centro de reabilitação e reintegração de animais selvagens na natureza, sendo reconhecida em toda a Região Metropolitana do Estado do Rio.

A criação da ASAS surgiu como resposta à síndrome da floresta vazia em São Gonçalo, combatendo a perda da fauna nas áreas de mata da cidade. O local desempenha o papel de um hospital de emergência para animais silvestres, oferecendo primeiros socorros, medicação e estabilização.

A equipe especializada, composta por biólogos, veterinários e estagiários, opera em cooperação técnica com a Prefeitura de São Gonçalo e a Universidade Estácio de Sá, funcionando continuamente, inclusive nos finais de semana e feriados.

É fundamental destacar que a ASAS não recolhe animais domésticos vítimas de acidentes ou maus-tratos. A área de soltura recebe exclusivamente animais silvestres, especialmente de espécies nativas da Mata Atlântica que necessitam de resgate.

Relacionadas