Imagem Principal
Imagem
Niterói redefine regionalização da saúde pública da cidade
Novas linhas territoriais foram traçadas para melhor atender a população
Niterói redefine regionalização da saúde pública da cidade
Foto do autor João Eduardo Dutra João Eduardo Dutra
Por: João Eduardo Dutra Data da Publicação: 06 de dezembro de 2023FacebookTwitterInstagram
Fonte: Divulgação

A Fundação Municipal de Saúde divulgou nesta quarta-feira (6) a nova definição para a regionalização da saúde pública e seus equipamentos em Niterói. Ficou definida a nova demarcação territorial que divide a cidade em seis regiões.

A iniciativa faz parte do Plano Municipal de Saúde participativo 2022-2025, mais especificamente no que diz respeito à ação "Regiőes de Saúde instituídas através de Portaria Municipal" e busca atingir a meta 2, "Padronizar o modelo de regionalização da saúde entre todos os setores que compõem o setor da saúde".

Segundo a publicação no Diário Oficial da Prefeitura desta quarta-feira (6), a mudança considera o acompanhamento das ações e condições de saúde, a divulgação de informações referentes ao potencial dos serviços de saúde e sua utilização pelo usuário, assim como ao controle da avaliação das referidas ações e serviços.

A FMS ainda destaca a necessidade de se angariar informações territoriais, socioeconômicas e epidemiológicas para a tomada de decisão com base em evidências na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), bem como para se conferir agilidade nas intervenções em saúde pública.

Além disso, a publicação cita “as significativas transformações urbanas que vem acontecendo no município, e as atuais dinâmicas da vida urbana na cidade, tal qual a necessidade de adequação do planejamento e gestão dos serviços da atenção primária aos cenários epidemiológicos atuais nos territórios” como um dos motivos para a mudança.

As seis regiões de saúde pública foram definidas de acordo com os bairros da cidade e ficaram estabelecidas da seguinte forma: Norte l, Norte ll, Praias da Baía I, Praias da Baía ll, Pendotiba e Leste Oceânica.

A FMS ressalta que a distribuição dos equipamentos de saúde de acordo com as regionais em vigência não implica obrigatoriamente na redefinição do referenciamento dos pacientes do SUS.

Confira a lista de bairros:

Relacionadas