Imagem Principal
Imagem
Leilão do terreno do Gasômetro vai acontecer no final do mês
Flamengo é o principal interessado, visando a construção do seu estádio
Leilão do terreno do Gasômetro vai acontecer no final do mês
Foto do autor João Eduardo Dutra João Eduardo Dutra
Por: João Eduardo Dutra Data da Publicação: 09 de julho de 2024FacebookTwitterInstagram
Fonte: Divulgação

A Prefeitura do Rio de Janeiro publicou em Diário Oficial, nesta terça-feira (9), o edital do leilão do terreno do antigo Gasômetro, que foi desapropriado há cerca de duas semanas atrás e pertencia a um fundo administrado pela Caixa Econômica Federal. O Flamengo é o principal interessado na compra do local para a construção de seu estádio.

Segundo a publicação, o leilão já tem data, hora e local para acontecer. Será no dia 31 de julho, às 14h30, no auditório do Centro Administrativo São Sebastião (CASS). O lance mínimo será de R$ 138,195 milhões. 

O Termo de Referência do edital prevê a construção de um estádio com capacidade de, no mínimo, 70 mil pessoas. A expectativa é que o Flamengo seja o único participante do leilão.

O projeto do Flamengo é para um estádio de 80 mil lugares, o que seria o maior do Brasil, superando a atual capacidade de 78.838 do Maracanã.

O edital ainda detalha algumas outras diretrizes que deverão ser cumpridas na construção no terreno, como estratégias de mobilidade urbana, utilização de práticas sustentáveis e revitalização de espaços do entorno do estádio.

Confira algumas das especificações:

  • O projeto deverá ser acompanhado de um Plano de Mobilidade Urbana, o qual deverá abranger soluções para o acesso de público que privilegiem o uso de transporte coletivo e acesso por pedestres nas imediações (modelo last mile);
  • O projeto obrigatoriamente vai considerar o acesso de veículos de transporte individual de passageiros pelas vias internas do bairro de São Cristóvão, vedado o acesso desses pela Avenida Francisco Bicalho;
  • O empreendimento deverá ser acompanhado de um Plano de Alcance Social, que abranja seus impactos para as populações e comunidades do entorno, privilegiando a contratação de mão de obra local, projetos de qualificação profissional e educação esportiva e cultural; 
  • Nas hipóteses de realização de calendários ou eventos culturais, o equipamento deverá destinar parcela de bilheteria desses eventos para acesso popular, na forma da legislação específica;
  • Instalação, preferencialmente, de sistemas de captação e reuso de água da chuva para irrigação de gramados e uso em banheiros;
  • Iluminação LED de alta eficiência e sistemas de controle automatizado para reduzir o consumo energético e incorporação de painéis solares e outras fontes de energia renovável para abastecer o equipamento e poder fornecer energia ao entorno.
  • Calçadas largas e acessíveis, além de ciclovias que conectem o equipamento especial a áreas residenciais e comerciais próximas;
  • Projeto de estacionamento suficiente, preferencialmente subterrâneo ou em edifício garagem para minimizar a ocupação de solo;
  • Criação de “zonas de experiência” com áreas temáticas ao redor do equipamento, que ofereçam entretenimento adicional, como museus interativos e zonas de jogos.

O Projeto vai ser apresentado em até 18 meses após a assinatura do Termo de Promessa de Compra e Venda, e será executado em até 36 meses, prorrogáveis na forma da lei, contados do seu licenciamento. 

A CAIXA informou que tomou ciência do edital do leilão através da publicação no Diário Oficial do Rio e estuda quais serão os próximos passos a serem adotados pelo banco.

Relacionadas