Imagem Principal
Imagem
Comércio carioca comemora limite de juros no rotativo
Além disso, o CDLRio e o SindilojasRio também celebraram a manutenção do parcelamento sem juros no cartão de crédito
Comércio carioca comemora limite de juros no rotativo
Foto do autor Redação Redação
Por: Redação Data da Publicação: 12 de janeiro de 2024FacebookTwitterInstagram
Foto: Reprodução

O ano começa com uma boa notícia para o consumidor e o comércio: a limitação dos juros do crédito rotativo de 100% ao ano e a manutenção da modalidade do pagamento parcelado no cartão de crédito sem juros. O Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio) e o Sindicato dos Lojistas do Comércio do Município do Rio de Janeiro (SindilojasRio) comemoraram a medida que será salutar para a economia.

"Apesar de continuarem muito elevados em termos reais, a queda dos juros do crédito rotativo para 100% ao ano se constitui num alívio diante da situação anterior, quando em casos extremos poderia ultrapassar o patamar de 1.000% ao ano, conforme mostra o site do Banco Central", diz o presidente do CDLRio.

De acordo com Aldo Gonçalves, presidente do CDLRio e do SindilojasRio a mudança permitirá que as pessoas consigam honrar obrigações em condições favoráveis, na medida que o teto da modalidade do rotativo traz benefícios aos endividados, permitindo que as pessoas possam organizar-se melhor sem tanto ônus financeiro, como era antes.

“Podemos vislumbrar aspectos positivos, notadamente para as famílias. Com isso, poderá haver mais espaço para o consumo. Neste ano espera-se a manutenção da tendência de queda dos juros básicos influenciando as demais taxas, visto que a inflação se apresenta moderada. Vamos torcer para que os cenários se revertam em favor do aumento dos investimentos", argumenta Aldo.

O presidente também comemorou a manutenção das vendas parceladas no cartão sem juros, o que, aliada ao limite do rotativo, deve alavancar ainda mais o comércio carioca.

"Se os juros caírem, então, o impulso sobre as vendas poderá ser maior. O consumo financiado continuará beneficiando consumidores e aquelas vendas típicas com cartão, mecanismo parcelado que pode trazer benefícios se bem utilizado", conclui Aldo Gonçalves.

 

Relacionadas