Imagem Principal
Imagem
Chuvas atiçam polarização política em Niterói e São Gonçalo
Possíveis correligionários e candidatos a prefeito deste ano apontam fragilidades de governos municipais
Chuvas atiçam polarização política em Niterói e São Gonçalo
Foto do autor Saulo Andrade Saulo Andrade
Por: Saulo Andrade Data da Publicação: 15 de janeiro de 2024FacebookTwitterInstagram
Fotos: Reprodução1/RedesSociais


Tão natural quanto as chuvas, nas cidades do Leste Fluminense, as intempéries vêm sendo exploradas pelas oposições, especialmente em ano eleitoral.

Em São Gonçalo, não é diferente. Principal oponente do prefeito Nelson Ruas, o Capitão Nelson (PL), o deputado federal e pré-candidato a prefeito, Dimas Gadelha (PT), é um dos que mais vem alertando sobre as “obras de maquiagem” da cidade.

“Foram gastos mais de R$ 1 bilhão, da venda da Cedae [concessionária de abastecimento de água no estado]. Esse dinheiro foi para onde? Para o ralo. É lamentável. É preciso medidas urgentes para solucionar os problemas da nossa amada São Gonçalo”, disse Gadelha, referindo-se às chuvas dos últimos dias 11 e 12, que castigaram São Gonçalo.  

Niterói

Com um custo de mais de R$ 6 milhões, as obras de macrodrenagem de Charitas, Zona Sul de Niterói, também foram alvo de críticas de opositores.

No último sábado (13), o vereador bolsonarista Douglas Gomes (PL) postou um vídeo, nas redes sociais, relatando que elas, na opinião do parlamentar, não resolveram o problema das enchentes, na prática. 

No detalhe das imagens, havia uma foto do deputado federal Carlos Jordy (PL), pré-candidato à Prefeitura de Niterói, apontando para o valor da obra.

Em nota, a Prefeitura de São Gonçalo respondeu que, desde o início da atual gestão, obras de infraestrutura “estão sendo feitas em todo o município”, através da Secretaria de Desenvolvimento Urbano.

“Já realizou obras de drenagem em cerca de 130 vias de 10 bairros, ao longo dos meses, sendo eles Boaçu; Vista Alegre; Sacramento; Pacheco; Ipiíba; Santa Luzia; Marambaia; Colubandê; Guaxindiba e Monjolos”, ressalta o texto, complementando que, no momento, vias dos bairros Marambaia e Guaxindiba estão recebendo o serviço de pavimentação, após a drenagem.

“As ruas do Colubandê, que foi um dos primeiros bairros a receber as obras de drenagem no município, não registraram alagamentos nas últimas chuvas”, conclui a nota, destacando que o  bairro Jardim Bom Retiro, através de uma parceria com o Governo do Estado, também está recebendo obras de drenagem e pavimentação.

“Os investimentos de R$ 260 milhões vão levar drenagem e pavimentação para mais de 60 ruas”.

Também por meio de nota, a Empresa Municipal de Moradia Urbanização e Saneamento (Emusa) informou que a região de Charitas é dividida em seis bacias e a obra de macrodrenagem, "que se encontra em fase final", abrange uma delas.

"O trecho que se estende desde as proximidades da Rua Dr. Armando Lopes, até as imediações da Rua Juiz Alberto Nader. Mesmo com o trabalho em execução, a rede de drenagem implantada foi suficiente para evitar alagamento nesse trecho. Neste momento, os trabalhos estão concentrados na Rua Leonel Magalhães, última etapa das obras. O investimento nesta bacia é de R$ 6,3 milhões", ressalta a gestão, destacando também que, "em breve", será realizada a licitação para o início das obras de macrodrenagem que correspondem à bacia que estende das proximidades da Rua Juiz Alberto Nader, até a região onde se encontra o Cemitério São Francisco Xavier.

"A concorrência está marcada para o dia 27 de fevereiro", conclui o texto da Prefeitura.

Clique aqui e receba mais notícias da sua cidade no WhatsApp.  
 

Relacionadas