Artesãos de Rio Bonito participarão da Feira Virtual do Estado

A Secretaria de Cultura e Turismo municipal, junto à Secretaria de Turismo estadual, estão proporcionando aos artesãos de Rio Bonito a oportunidade de mostrarem seus trabalhos na Feira Virtual do Programa de Artesanato do Estado do Rio de Janeiro. A intenção é que o evento, que é feito no Facebook, seja uma vitrine para os artesãos que estão sem a feira tradicional por causa da pandemia. Para ter os trabalhos publicados pela equipe da Secretaria estadual, basta seguir algumas regras, como ter a Carteira Nacional do Artesão dentro do prazo de validade. Podem participar associações, cooperativas e grupos produtivos. As fotos e informações devem ser enviadas para o e-mail feiravirtualartesanatorj@gmail.com.

Para a secretária de Cultura e Turismo, Carmen Motta, essa é uma boa oportunidade dos artesãos de Rio Bonito mostrarem suas obras.

“Fico muito feliz de podermos promover mais essa oportunidade a eles (artesãos). Essa é uma grande chance de mostrarmos ao Estado e até ao mundo os trabalhos dos artesãos de Rio Bonito”, disse Carmen, que ainda revelou que o município também ganhará uma versão da feira virtual municipal em breve.

Regras
Para participar, os artesão devem observar alguma regras. As fotos enviadas devem ter fundo branco, e tamanho acima de 1.000 pixels, serão selecionadas quatro fotos por artesão, no caso de associação, cooperativa e grupo produtivo, se as técnicas dos produtos forem diferentes, serão selecionadas quatro fotos por técnica ou matéria prima, não podendo exceder o total de 8 fotos. As fotos deverão ter um único produto e não vários, a não ser que façam parte de um kit (exemplo: kit de toalhas, banho e rosto, conjunto de cestos).

Os produtos passarão por uma curadoria da Secretaria Estadual de Turismo/Programa de Artesanato do Estado do Rio de Janeiro. O artesão deverá fazer um texto de no mínimo 4 linhas, mencionando nome, contato, município, as características do produto (exemplo: escultura, bolsa, jarro); técnica (exemplo: bordado, crochê, trançado); matéria-prima (taboa, fibra de bananeira, sucata); sua utilidade (exemplo: decorativo, utilitário, acessório, souvenir) e a medida do produto. Não deverá constar preço na foto do produto e a negociação será feita diretamente entre o artesão e o cliente.

Os artistas também deverão possuir capacidade de produção, entregar o produto tal qual a foto e sua descrição, zelar pelo bom acabamento e qualidade, respeitar o prazo de entrega e praticar preços justos.

A venda é feita diretamente entre o profissional e o cliente. Por esse motivo, o Programa de Artesanato não se responsabiliza pelos produtos extraviados. Não haverá o repasse de recursos públicos financeiros estaduais e nem federais aos artesãos selecionados e deverá estar anexado ao email de inscrição a declaração de cessão de direito de uso de imagem assinada pelo artista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *